Após um ano de pandemia, hotéis cariocas amargam prejuízo de 1,6 bi com baixa ocupação

Foto: Cleomir Tavares/ Diário do Rio

 

Um balanço divulgado pelo portal Hotéis Rio, sindicato do mercado hoteleiro e turístico da Capital Fluminense, mostra o cenário delicado pelo qual passa o setor, um ano após o início das medidas restritivas para conter o avanço da Covid-19.

Segundo relatório, no início de março de 2020, a ocupação da rede hoteleira estava em torno de 70%. Em abril, este índice caiu para 5% e os hotéis começaram a fechar as portas. Em maio, já eram cerca de 90 hotéis e albergues fora de operação, e mais de 25% dos postos de trabalho suspensos, permanente ou temporariamente. Cerca de sete hotéis fecharam as portas em definitivo.

A reabertura dos hotéis começou timidamente em junho, mas ganhou força a partir de agosto. A retomada, conforme perspectivas do trade de turismo, se deu pelo turismo doméstico, em viagens rodoviárias em núcleos familiares. Neste cenário, os hotéis do interior do estado se destacaram com altas ocupações – respeitando a capacidade permitida – nos finais de semana. Mesmo com a suspensão dos eventos corporativos, houve aumento na demanda durante a semana em função da suspensão das aulas e do trabalho remoto.

Além dos selos estadual e municipal de orientação dos protocolos sanitários de prevenção à Covid-19, no final de 2020, a hotelaria esteve envolvida em campanhas promocionais voltadas para o público interno (“Redescubra o Rio”) e principais mercados emissores (SP e MG – “Mais Rio por Menos”), com o objetivo de reforçar a marca Rio na preferência dos viajantes.

O atual cenário da pandemia traz apreensão para a hotelaria com a chegada da baixa temporada do turismo que, até então, acreditava-se que poderia ser salva pelo segmento corporativo, o que não se consolidou em função das medidas restritivas.

No fim de março, para conter o avanço da doença no município, a Prefeitura do Rio de Janeiro anunciou restrições mais rígidas, em que apenas serviços essenciais puderam funcionar durante um período de 10 dias. O decreto continuou a permitir o funcionamento dos meios de hospedagem, porém com o serviço de alimentação restrito aos hóspedes.

“Nós estamos em uma situação extremíssima, então, não restaria outra solução senão enfrentarmos esse novo fechamento das atividades. A liberação dos hotéis ameniza o nosso setor, mas com a cidade fechada, não muda muito o cenário. Continuamos hospedando pessoas que estão embarcadas em plataformas e muitos profissionais de saúde, atuando como uma atividade fundamental neste momento. Estamos conscientes que vamos funcionar com ocupações muito baixas, e não poderia ser diferente. Para isso, esperamos ter alguma contrapartida dos governos federal, estadual e municipal quanto à não cobrança de impostos ou uma postergação, já que dez dias em 30 dias é um terço de nossa receita. Mas, o mais importante agora é que todo esse esforço signifique uma queda nos casos de Covid em nossa cidade”, ressalta Alfredo Lopes.

Segundo o Hotéis Rio, houve, conforme esperado, queda brusca nos índices de ocupação em função do congelamento do mercado internacional e corporativo e das restrições nos atrativos turísticos, e também nos próprios destinos emissores de lazer, como Minas Gerais e São Paulo, o que naturalmente desestimula os planos de viagens. Em março deste ano, a ocupação média girava em torno de 35 e 40%. Este índice desabou para cerca de 25% logo após o anúncio das restrições, que envolveram praias, shoppings e atrativos turísticos, e na última semana do mês ficou abaixo dos 20% na maior parte dos hotéis apurados. Ainda segundo o sindicato, a rede hoteleira já contabiliza um prejuízo acumulado, no último ano, de, aproximadamente, R$ 1 bilhão e 600 milhões.

 

Fonte: Diário do Rio

Secretaria de Turismo apresenta Plano Estratégico à Comissão de Turismo da Alerj

Audiência pública foi realizada para a comissão conhecer as ações e os projetos em execução para o desenvolvimento do setor turístico no Estado do Rio de Janeiro

 

 

As realizações e o Plano Estratégico da Secretaria de Estado de Turismo do Rio de Janeiro e da TurisRio foram o tema da audiência pública, realizada esta manhã, pela Comissão de Turismo da Assembleia Legislativa. Na ocasião, o secretário Gustavo Tutuca e o presidente da TurisRio, Sergio Ricardo de Almeida, apresentaram as ações e projetos que já estão sendo executados e, ainda, aqueles em fase final de programação.

Gustavo Tutuca abriu sua apresentação ressaltando, com base em números, a importância do turismo para o fortalecimento da economia.

– Não podemos esquecer que o turismo é responsável pela geração de um a cada dez empregos no mundo. No Brasil, cerca de sete milhões de profissionais estão envolvidos com o setor. São milhões de pessoas que dependem da atividade turística para manter suas famílias.

Ao prosseguir, o secretário reforçou a importância turística do RJ ao dizer que o Estado é o que tem a maior diversidade de recursos e atrativos turísticos em curta distância. Segundo Tutuca, esse fator é de extrema relevância uma vez que, atualmente, o turismo de proximidade é o que mais atrai os visitantes.

– Pesquisas indicam que mais de 50% dos viajantes procuram destinos próximos ao seu local de residência. Outro dado importante, e que nos favorece, é a predominância por busca de lugares que proporcionem um maior contato com a natureza. Nosso Estado tem, a poucos quilômetros de distância da Capital, atrativos na serra e no litoral e cidades que oferecem infraestrutura de excelência para receber os visitantes com segurança, seguindo as normas sanitárias vigentes.

Para motivar o deslocamento desses turistas para o Rio de Janeiro, o secretário apresentou as estratégias que serão adotadas pela Setur. Uma campanha de divulgação do Estado, apostando no turismo de proximidade, tem como objetivo fortalecer a marca RJ em São Paulo (capital e interior), Minas Gerais e Distrito Federal. Serão realizados workshops e ativações em shoppings, além de flashmobs e divulgação em mídias digitais.

O Plano Turismo RJ+10 anos, que propõe ações que coloquem o Rio de Janeiro em um patamar diferenciado em termos de competitividade com outros destinos mundiais, foi outro ponto apresentado. A presidente da Comissão de Turismo da Alerj, deputada Alana Passos, elogiou o trabalho e o legado que será deixado.

– Acredito que esse estudo é de extrema importância para que possa haver uma continuidade nos projetos e planos para o turismo do Estado do Rio de Janeiro.

Sergio Ricardo de Almeida, ressaltou a importância da TurisRio como braço operacional da Setur-RJ no interior. O presidente da empresa estatal de turismo, reforçou o contato diário com os representantes do setor no interior, para agilizar ações integradas que impulsionem as regiões turísticas.

– Nosso trabalho é incansável para o fortalecimento do turismo nos municípios do do Estado. A meta é fazer com que o tempo de permanência dos turistas no Rio de Janeiro se estenda para que esses viajantes possam conhecer a potencialidade das cidades fluminenses.

Foram apresentados ainda, durante a audiência pública, os programas “Rio de Janeiro Turismo Consciente”, “Rio, o seu melhor Presente”, “ArtCred RJ”, “Passaporte do Cicloturismo”, “Portal Turismo RJ”, projeto de sinalização turística e o programa de capacitação dos gestores públicos em parceria com o TCE. Além disso, o secretário falou também sobre a realização de fóruns regionais nas 12 regiões turísticas do Estado, com o objetivo de aproximar a Setur-RJ dos municípios do interior.

 

 

Fonte e foto: Ascom Setur/TurisRio

 

Rio ganha mais 2 pontos de vacinação extras contra a Covid-19

Museu Militar Conde, em São Cristóvão, e Club Municipal, na Tijuca, estão sendo inaugurados nesta segunda-feira (12/04)

 

Foto: Freepik

 

O Rio de Janeiro ganha mais 2 pontos de vacinação extras contra a Covid-19. Nesta segunda-feira (12/04), a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), inaugura os pontos de imunização no Museu Militar em São Cristóvão e no Club Municipal da Tijuca.

A vacinação no posto do Museu Militar será aplicada de segunda a sábado, das 8h às 17h. Já no Club Municipal na Tijuca, a imunização vai funcionar de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Nesta segunda-feira, a vacina está sendo aplicada em mulheres de 63 anos, profissionais de saúde de 54 anos e a segunda dose de quem já tomou a primeira. Para conferir o calendário oficial completo, a população pode acessar o site da Prefeitura do Rio e as redes sociais da SMS.

Fonte: Diário do Rio

Rock in Rio adia edições de Lisboa e Rio de Janeiro para 2022

Foto: Reprodução / Internet

O Rock in Rio adiou as edições deste ano de Lisboa e Rio de Janeiro para 2022, devido “ao cenário de incerteza que se vive a nível mundial, provocado pela pandemia, e uma vez que se aproxima a data de início de montagens”, refere a organização de ambos os festivais em comunicado.

“Infelizmente, chegada a data limite para iniciarmos as montagens da Cidade do Rock, encontramo-nos ainda em fase de Estado de Emergência e sem garantias de que, em junho, estejam reunidas as condições para realizarmos o festival no seu modelo original”, lê-se no comunicado que a organização do Rock in Rio enviou esta quinta-feira, 4 de março, à imprensa sobre a edição de Lisboa.

O Rock in Rio optou assim por adiar as duas edições, passando o festival da capital portuguesa para as datas de 18, 19, 25 e 26 de junho de 2022, enquanto a edição do Rio de Janeiro vai ter lugar a 2, 3, 4, 8, 9, 10 e 11 de setembro de 2022.

“Vamos preservar vidas neste momento”, diz Roberto Medina, presidente e idealizador do Rock in Rio, que sublinha que a saúde e segurança do público são a sua “principal preocupação”.

O Rock in Rio informa ainda que os bilhetes já adquiridos são automaticamente válidos para a próxima edição e diz que, em breve, serão reveladas “mais informações dirigidas aos portadores de bilhetes, assim como novidades relativas ao cartaz”.

 

Fonte: Publituris

United cresce oferta para São Paulo e Rio de Janeiro em maio

A United Airlines retomará mais de 100% de sua operação pré-pandemia na América Latina a partir do mês de maio. São mais opções de voos sem escalas entre Estados Unidos e destinos latino-americanos no México, Caribe e América Central e do Sul, com a expansão de suas operações a partir de Denver, Los Angeles, São Francisco e Washington D.C.

Na América do Sul, a United operará voo sem escalas de Houston a Bogotá, Buenos Aires, Lima, Quito, Santiago, Rio de Janeiro e São Paulo, bem como a operação Nova York/Newark para Bogotá. A companhia atualmente segue operando voos diários entre São Paulo e Houston e Nova York/Newark e irá aumentar a operação entre São Paulo e Chicago para 4 voos semanais e 5 voos semanais entre Rio de Janeiro e Houston.

“Temos orgulho das raízes profundas e da história da United em toda a América Latina”, disse Patrick Quayle, VP de Rede Internacional e Alianças da United. “Em maio, expandiremos nossa programação na América Latina, oferecendo ainda mais opções do que em 2019. Isso incluirá inúmeras oportunidades para os viajantes se reunirem com amigos e familiares e para aqueles que procuram um destino de praia e clima quente”, completou.

Já no Caribe, a United operará voos sem escalas entre 13 destinos no Caribe e seus hubs em Chicago, Denver, Houston, Los Angeles, Nova York/Newark e Washington D.C. A companhia aérea opera voos para Aruba, Bahamas, Bermuda, Jamaica, Porto Rico, República Dominicana, Saint Martin/Saint Maarten, St. Thomas e Turks e Caicos.

 

Fonte: Mercado&Eventos

Fotos: Reprodução/ site Mercado&Eventos

Rio começa a reabrir a partir de 9 de abril, sexta-feira

Foto: Freepik

 

Enquanto alguns destinos já iniciaram a reabertura, caso de Pernambuco, e outros adiaram o movimento, caso de São Paulo, previsto para seguir na fase atual de restrições até 11 de abril, a cidade do Rio de Janeiro decidiu marcar para 9 de abril, próxima sexta-feira o início da reabertura do comércio e dos serviços. O decreto foi publicado hoje no Diário Oficial da cidade. As atuais restrições, com comércio e restaurantes fechados para atendimento presencial, continuam até quinta-feira, dia 8.

Os bares e restaurantes poderão voltar a atender presencialmente, mas somente até as 21h. Escolas também poderão retornar na próxima semana (já na segunda, dia 5) e o comércio poderá abrir até as 17h, incluindo shoppings. As praias continuarão fechadas, incluindo o comércio fixo e ambulante na orla e na areia.

De 9 de abril (sexta-feira que vem) até 19 de abril podem funcionar:

– serviços essenciais, com as mesmas regras atuais (estão inclusos farmácias, supermercados, mercados, pet shops com assistência veterinária, bancos e lotéricas, postos de gasolina, serviços de entrega em domicílio, construção civil, estacionamentos, serviços de limpeza, entre outros);
– bares e restaurantes até as 21h (clientes que já estejam no restaurante ou bar devem deixar o local até as 22h);
– clubes poderão abrir até as 21h;
– casas de festas, teatros, cinemas, parques temáticos, museus e atrações turísticas podem funcionar das 12h às 21h;
– comércio em geral das 10h às 18h e serviços das 12h às 21h;
– shoppings seguirão os horários do comércio e dos estabelecimentos de alimentação;
– praias continuam fechadas, sendo permitidos apenas esportes individuais (o mesmo para parques e ambientes abertos – esportes e aulas coletivas estão proibidas);
– serviços públicos não essenciais, das 8H às 17h;
– eventos sociais em geral, abertura de boates, feiras de arte ou de ambulantes e eventos corporativos, como feiras e congressos,estão proibidos.

Leia o decreto na íntegra.

 

Fonte: Panrotas

TESTES DE COVID-19 SÃO NOVA AMENIDADE DA HOTELARIA

Foto: Freepik

 

Ao longo dos últimos doze meses, a maior parte dos hotéis, lodges, resorts e pousadas introduziram diferentes amenidades que trouxessem mais segurança aos hóspedes em tempos de tantas incertezas e ansiedade. Primeiro vieram as máscaras cortesia e os frascos de álcool em gel e lenços desinfetantes em toda parte. Passado um ano da pandemia do novo coronavírus, os testes de Covid-19 são a nova amenidade oferecida por parte significativa da hotelaria internacional.

A tendência da testagem oferecida nos próprios hotéis e resorts começou ainda em 2020, com a reabertura de resorts nas Maldivas. Um dos grandes precursores foi, sem dúvidas, a rede Soneva, que montou seu próprio laboratório no destino (em parceria com a Roche) para testar qualquer turista que desembarque em um de seus hotéis no arquipélago (além de obviamente testar funcionários constantemente).

O case de sucesso (os resorts do grupo operam há meses como “ambientes livres de Covid-19”, sem exigência sequer de uso de máscaras ou distanciamento por parte dos hóspedes e staff, como já contamos em detalhes aqui) correu o mundo e foi adaptado para outras propriedades em diferentes destinos também.

TESTES DE COVID-19: A NOVA AMENIDADE DA HOTELARIA INTERNACIONAL

Mas a tendência de oferecer testes de Covid-19 como nova amenidade por parte da hotelaria se popularizou de fato após a declaração do CDC americano de que qualquer viajante entrando ou retornando aos EUA precisa apresentar um teste negativo feito menos de 72h antes para ter sua entrada liberada desde o final de janeiro (por enquanto, ainda independentemente do estado de vacinação do viajante).

E brasileiros que retomaram algum tipo de viagem ao exterior têm se beneficiado desta tendência que ganha cada vez mais corpo, já que esta também passou a ser uma exigência para retornar ao Brasil após viagens internacionais desde o finalzinho de dezembro.

Vale lembrar que CDC americano continua encorajando as pessoas a ficarem em casa e adiarem viagens de turismo para protegerem a si mesmas e aos outros dos avanços da Covid-19. Mas, para os que ainda assim desejam seguir viajando nesses tempos, a testagem vem tendo um papel fundamental.

Ao longo da pandemia, a hotelaria tem se esforçado cada vez mais para garantir que os hóspedes se sintam o mais confortáveis – e seguros – durante a estadia. Gerentes gerais de diferentes hotéis têm comentado que, mesmo em viagens ou destinos onde não exista essa exigência (como viagens domésticas, por exemplo), muitos hóspedes estão decidindo fazer um teste de Covid-19 para ficarem eles mesmos mais tranquilos após tomarem voos lotados, por exemplo.

COMO FUNCIONAM OS TESTES DE COVID-19 OFERECIDOS NOS HOTÉIS

As particularidades (preços, tipo de teste, local de coleta etc) dos testes de Covid-19 oferecidos pelos hotéis podem variar bastante de um local para outro em função dos acordos estabelecidos com laboratórios, ou mesmo da burocracia específica de cada destino.

Das grandes redes hoteleiras internacionais, a Hyatt foi a primeira a não apenas oferecer o serviço, como oferecê-lo gratuitamente aos hóspedes. Seus 19 resorts na América Latina oferecem testes PCR para Covid-19 local e gratuitamente para qualquer turista com destino final nos EUA.

Os hóspedes destes hotéis podem também estender suas estadias com desconto caso sua viagem aos EUA tenha que ser adiada em virtude de testagem positiva. O benefício se estende também ao Grand Hyatt Rio de Janeiro, que oferece dois testes rápidos gratuitos no próprio hotel para cada quarto.

AS REGRAS DE CADA REDE

A rede Meliá também conferiu o benefício da gratuidade dos testes anti-Covid em 10 dos seus resorts em destinos no México e na República Dominicana, focando claramente nos turistas norte-americanos. A rede anda promovendo curiosas ofertas nos EUA com dizeres como “quarta noite e teste de Covid-19 grátis”.

Outras grandes redes hoteleiras também se adaptaram rapidamente para oferecer a comodidade dos testes de COVID-19 para seus hóspedes, como Hilton, Marriott e Four Seasons. Os testes nas propriedades destas redes são geralmente cobrados à parte, mas podem eventualmente ser ofertados gratuitamente em alguns pacotes específicos.

A rede Hilton, por enquanto, oferece testes em apenas parte dos seus hotéis na América Latina, e sempre pagos pelo próprio hóspede (com custo de US$30 e US$200, dependendo do tipo de teste).

A maioria dos hotéis da Marriott na América Latina não oferece os testes in loco, mas garante oferecer auxílio aos hóspedes na hora de marcar seus próprios testes e organizar o transporte ida e volta para as clínicas locais para colher o material.

A rede Four Seasons garante facilitar o acesso aos testes de COVID-19 em todas as suas propriedades, embora nem todas elas ofereçam a testagem no próprio hotel devido a regras de cada destino. O resort do grupo em Los Cabos, por exemplo, oferece testes rápidos com resultados em 40 minutos no hotel (a US$40 por pessoa) e médico disponível 24h.

O Four Seasons Resort and Residences Anguilla oferece testes rápidos com uma enfermeira dedicada à propriedade e que podem ser agendados via concierge ou através do próprio Four Seasons App.

OUTRAS PROPRIEDADES QUE JÁ OFERECEM TESTES DE COVID-19

Apesar de tantas restrições de fronteiras ainda em vigor no turismo internacional, é notório que o setor esteja se adaptado de maneira bastante rápida às constantes mudanças no mercado (embora reagindo ainda muito lentamente à necessidade urgente de rever as políticas de ventilação dos seus ambientes, já que hoje está comprovado que o novo coronavírus se espalha muito mais rápida e facilmente pelo ar que através do contato com superfícies).

Alguns destinos muito frequentados por americanos resolveram investir coletivamente no oferecimento de testes de Covid-19 como nova amenidade da hotelaria internacional. Caso de Los Cabos, no México, por exemplo, cujo escritório de turismo anunciou que todos os hotéis da cidade (e também propriedades operando em sistema time share) já oferecem testes de antígeno localmente. Os testes rápidos custam cerca de US$60, mas alguns hotéis estão oferecendo tais testes gratuitamente em determinados pacotes de estadia.

Há hotéis oferecendo créditos em promoções de hospedagem que podem também ser utilizados para pagar os testes de Covid, seja na chegada ou na partida do destino.

Propriedades como Eden Roc Cap Cana, todos os resorts Sandals no Caribe e os hotéis do complexo Baha Mar Resort, nas Bahamas, também estão oferecendo dois testes PCR gratuitos por quarto durante a estadia.

Hotéis em outros destinos com fronteiras mais flexíveis para o turismo, como o Marrocos, também estão oferecendo testes de Covid feitos na propriedade. É o caso, por exemplo, do hotel Royal Mansour, em Marrakech, membro da Leading Hotels of the World. A LHW, aliás, mantém uma página atualizada sobre todos os seus hotéis que estão oferecendo testes de Covid-19 on-site.

Embora Brasil o oferecimento da testagem dentro dos hotéis para Covid-19 ainda não seja comum, muitos hoteleiros já planejam oferecer o serviço em breve, inclusive como forma de tentar atrair mais turistas estrangeiros em algum momento. A rede Iberostar, por exemplo, já está oferecendo aos seus hóspedes a possibilidade de realizar testes da Covid-19 diretamente no hotel também no Brasil.

O QUE ACONTECE SE O HÓSPEDE TESTAR POSITIVO

Apesar de tantas propriedades já oferecerem o serviço de testagem in loco há alguns meses, vale lembrar que nem todas têm regras claras sobre o que acontece caso o hóspede teste positivo. E é importante saber que as regras mudam enormemente de um hotel para outro.

Mesmo com a recomendação atual de compra de seguro viagem para até 14 dias a mais que a duração total da viagem contratada justamente para que o viajante esteja protegido em um eventual caso de contaminação, é importante ressaltar que os seguros com cobertura para casos de Covid-19 se limitam a cobrir apenas as despesas médicas e hospitalares.

No caso de pacientes com versões brandas da doença ou mesmo assintomáticos, a maioria dos hotéis cobra dos próprios hóspedes as diárias e despesas gerais de extensão de sua viagem (como alimentação, por exemplo) em caso de testagem positiva, até que o viajante seja “negativado” e autorizado a voltar para casa.

Marcelo Alabarce, diretor da M. Alabarce Curadoria de Viagens, teve recentemente que lidar com o caso de clientes em viagem pelo Caribe em que um dos membros testou positivo antes de voltar para o Brasil. A família brasileira teve que estender sua viagem por outros impressionantes 21 dias até que todos testassem negativo e fossem autorizados a embarcar no voo de volta para casa – pagando todas as despesas de estadia e alimentação do próprio bolso, é claro.

Mas há também boas surpresas no setor. O pioneiro grupo Soneva continua oferecendo até 14 dias de hospedagem gratuita em seus hotéis nas Maldivas em caso de testagem positiva pelo hóspede. O complexo Baha Mar, nas Bahamas, também oferece nesse caso até 14 dias de acomodação cortesia, com um crédito de US$150 por pessoa/por dia para refeições.

Hotéis das redes Hyatt e Marriott oferecem até 50% de desconto no valor das diárias caso os hóspedes tenham que fazer quarentenas ali antes de voltar para casa. Já a rede Iberostar promete a extensão da estadia sem custo adicional em caso de testagem positiva, em quarto isolado, com entretenimento e serviço de quarto sem contato.

 

 

Fonte: Blog Panrotas

Corcovado e o Parque Lage, no Rio de Janeiro, ficam fechados até a Páscoa

 

O Corcovado e o Parque Lage, no Parque Nacional da Tijuca, na zona sul do Rio de Janeiro, vão ficar fechados à visitação pública de sexta-feira (26) a domingo de Páscoa (4). A administração do parque informou que a medida foi para ajustar a visitação dos locais ao decreto municipal de 22 de março, que estabeleceu medias emergenciais, de caráter excepcional e temporário, para enfrentar a pandemia da covid-19.

Nesse período de dez dias, na área do Corcovado ficam suspensos os serviços concessionados de transporte até o Cristo Redentor e toda a visitação e realização de eventos. No Parque Lage, além da visitação ao local, fica proibido o acesso à trilha Parque Lage-Corcovado, que tem início a partir do Parque Lage.

Também não está permitida a entrada no Centro de Visitante Paineiras e no Centro de Visitantes do Setor Floresta. Até o domingo de Páscoa também não haverá acesso e nem a permanência em todos os mirantes localizados dentro do parque, como Dona Marta, Vista Chinesa, Mirante da Cascatinha, Mesa do Imperador, Excelsior, Bela Vista e Paineiras. As cachoeiras, duchas e lagoas do Parque Nacional da Tijuca não podem ser usadas nem para permanência e nem para banho.

Apesar das suspensões, está permitida a prática individual de atividades físicas em todas as vias e na maioria das trilhas dentro do Parque Nacional da Tijuca, desde que os visitantes não formem grupos. Não está liberada a prática coletiva de exercícios físicos.

As trilhas da Pedra Bonita e da Pedra da Gávea estarão fechadas.

Entre as vias e trilhas que estarão abertas para a prática individual de atividades físicas, estão as trilhas dos setores Floresta e Serra da Carioca e as vias como a estrada das Paineiras e estrada do Redentor, no setor Serra da Carioca; a estrada da Cascatinha, a estrada do Bom Retiro e a estrada Major Archer, todas no setor Floresta.

O horário de funcionamento no período dos dez dias no Setor Serra da Carioca será das 8h às 17h, e no Setor Floresta das 7h às 14h, com limite de 1,5 mil pessoas por dia, com acesso e saída exclusivamente pelo portão da Praça Afonso Viseu, no Alto da Boa Vista.

Voos livres

Os voos livres duplos, também chamados de voos de instrução, serão suspensos, porque são os que podem provocar aglomeração. Já os esportivos, realizados pelos praticantes do esporte, que forem voar individualmente, estão liberados.

A circulação de veículos motorizados nas vias da Estrada das Paineiras, do Corcovado e do setor Floresta, que estavam liberadas somente para veículos motorizados de idosos e de pessoas com deficiência (PcD), estão fechadas. A exceção na circulação dos veículos é para os esportistas individuais de voo livre, que terão o acesso de carro liberado.

Veículos públicos

De acordo com a administração do Parque Nacional da Tijuca, as exceções são para os veículos oficiais e de órgãos públicos, como os de segurança, de limpeza, e ou para prestação de serviços públicos, como manutenção e limpeza das vias, manutenção da rede elétrica e execução de podas.

O impedimento também não alcança os veículos usados para a execução de manutenção e reparo das antenas localizadas no Sumaré.

 

Foto: Alexandre Macieira/Riotur

Rio de Janeiro dá inicio ao mega feriado para conter transmissão da Covid-19

Foto: Divulgação / Riotur

O mega feriado de dez dias começa nesta sexta-feira (26) em todo o estado do Rio de Janeiro e termina no domingo de Páscoa (4 de abril). A finalidade é frear a expansão da Covid-19. São dois sábados e dois domingos e seis dias de feriados, incluindo a sexta-feira santa (2), a antecipação de dois feriados de abril (Tiradentes, que seria no dia 21, e São Jorge, no dia 23) e a criação de três feriados extraordinários.

Praias de todo o estado estão fechadas e algumas cidades turísticas apresentam restrição de entrada para não moradores. A própria capital está proibindo a entrada de ônibus fretados. Outros municípios também podem montar barreiras para esse tipo de ônibus. Restrições valem também para as diversões noturnas. Casas de shows e boates não poderão abrir. Restaurantes e bares só poderão receber clientes até as 21h e terão que encerrar suas atividades às 23h.

Há restrições ainda para horário de funcionamento de shoppings, que só poderão funcionar das 12h às 20h, com no máximo 40% de sua capacidade. Ficarão fechadas atrações culturais e de lazer como museus, cinemas, parques de diversão, aquários e jardins zoológicos. Na cidade do Rio de Janeiro, os ônibus regulares e o metrô continuam funcionando normalmente. Na capital, por exemplo, bares, restaurantes e quiosques de praia não poderão abrir para permanência de clientes, apenas para entregas, drive thru e coleta de refeições para consumo em casa.

 

Fonte: Mercado&Eventos

Rio sem turistas? Estado estuda barrar visitantes na pandemia de covid

O secretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro, Carlos Alberto Chaves, afirmou que o governo prevê barrar a entrada de turistas para conter avanço da covid-19. Segundo o secretário, os indicadores da doença no Estado serão avaliados até esta sexta-feira (12), quando a decisão de fechar as fronteiras para visitantes será tomada.

Na manhã de hoje (10), 95% dos leitos de UTI da rede do Sistema Único de Saúde estavam ocupados, e 6% dos moradores da cidade do Rio já foram vacinados. “Eu vi muito turista na praia. Isso é um ponto a ser discutido do ponto de vista técnico. Estamos conversando com a Vigilância Epidemiológica sobre isso. Tem vários posicionamentos a serem colocados – uns mais drásticos, outros mais leves”, afirmou Chaves.

Nesta quarta e também na quinta-feira (11), na capital podem se vacinar os idosos com 76 anos. Na sexta (12), os idosos com 75. O sábado (13) será dia de repescagem para quem tem 75 anos ou mais.

O calendário de imunização até o fim da semana está garantido no Rio porque a prefeitura deverá receber um novo lote com 56 mil doses da Coronavac. O novo carregamento faz parte de uma remessa de mais de 261 mil vacinas que chegaram para o Governo do Estado na noite da última terça (10).

O secretário de Turismo do Rio de Janeiro, Gustavo Tutuca, garante que o Estado não fechará as fronteiras para os turistas. Assista ao vídeo.

 

Fonte: Panrotas